terça-feira, 30 de agosto de 2011

XV Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida - Troca de Experiências

Após o fim de mais um congresso,a mesma constatação de sempre, que é a importância da troca de experiências, da busca pela atualização constante e de manter o contato com profissionais do Brasil e do mundo.
Agora, manter o foco e aguardar o próximo congresso, que será em outubro em Orlando, nos Estados Unidos, o Congresso Americano de Medicina Reprodutiva.
Que venham muitos outros congressos!!!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida

Após um primeiro dia de muito aprendizado e bem produtivo no XV Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida, onde pude assistir aulas de grandes especialistas do Brasil e do mundo, como: o Professor Rui Ferriani, que foi meu preceptor na Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto, durante minha residência médica e o Dr. Klaus Wiemer, norte-americano, que é responsável pela primeira gravidez usando blastocistos (embriões em fase avançada de desenvolvimento) em fertilização in vitro, e o detalhe é que o uso de blastocistos parece apresentar um futuro promissor (falarei mais sobre isto numa próxima oportunidade) por apresentar altas taxas de gravidez. Vamos para o segundo dia, torcendo por mais uma dia de grande produtividade.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

HPV e Infertilidade

O HPV, papiloma vírus humano, vem sendo estudado há anos no seu papel como fator causador do câncer do colo do útero. Além disso, suas manifestações, como verrugas genitais, já são há muito tempo compreendidas.  Sabe-se também de sua ação no desencadeamento do câncer de pênis.
Evidências vêm apontando uma relação do HPV com a fertilidade humana.
Um recente estudo publicado pela Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva demonstrou resultados alarmantes. Foi estudada a possível relação entre a presença do HPV em casais submetidos à FIV (Fertilização in Vitro) e menores taxas de sucesso neste procedimento.  Como conclusão, o estudo demonstrou que as taxas de gravidez não foram afetadas pela presença do HPV, porém nos casais em que a mulher ou sobretudo o homem apresentavam HPV, as taxas de abortamento foram estatisticamente maiores que no grupo sem a presença do HPV. Além disso, quando tanto o homem quanto a mulher eram portadores do HPV as taxas de abortamentos foram maiores ainda.
Assim, estabeleceu-se uma relação positiva entre a presença do HPV e uma maior taxa de abortamento.
A principal hipótese seria que a presença do HPV no óvulo e sobretudo no espermatozóide provocaria alterações nos genes do embrião e com isso afetariam o desenvolvimento do mesmo.
Assim, o HPV desempenha um papel negativo na fertilidade humana. Muito embora esses resultados tenham sido demonstrados em casais submetidos à FIV, podemos supor que em gestações naturais esse efeito deletério também possa acontecer.
Portanto, mais do que nunca, medidas preventivas devem ser incentivadas, como: a vacinação em massa para HPV em jovens de ambos os sexos, o uso de preservativos e a instituição de uma eficiente, precoce e continuada educação sexual.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

XV Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida

Esta semana, ocorrerá o XV Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida, em Florianópolis, Santa Catarina. Trata-se do maior Congresso na área de Reprodução Humana do país, sendo realizado anualmente. Terei o prazer de estar presente a este Congresso, onde poderei atualizar meus conhecimentos, discutir condutas e opiniões com colegas de todo o país e do exterior, além de rever meus professores e amigos da época de minha residência médica na USP, em Ribeirão Preto. Estou na expectativa e ansioso por esta imersão em medicina reprodutiva e tenho a certeza que serão quatro dias de intenso aprendizado.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Luta pela Fertilidade

Ontem, dia 10 de agosto de 2011, tive o prazer de realizar um sonho de uma mulher de 45 anos. Fiz seu parto, uma cesariana, de gêmeos, um belo casal. Uma realidade antes distante, agora, concretiza-se graças aos avanços da medicina reprodutiva. Após um fertilização in vitro, essa mulher hoje é mãe, sem a ajuda da medicina jamais o seria. Me sinto vivendo o futuro, um futuro real e que já começou. Luta pela fertilidade!!!

Obesidade e Fertilidade Masculina


Há tempos a obesidade vem sendo encarada como uma inimiga da fertilidade feminina, como uma importante causa de anovulação crônica.
Considerada uma das piores doenças do século XXI, a obesidade parece afetar também a fertilidade masculina.
Evidências recentes demonstraram que homens obesos ou com sobrepeso apresentam mais alterações nos espermatozóides que homens magros.
As principais alterações estão ligadas à quantidade e movimentação dos espermatozóides. Assim, com menos e mais lentos espermatozóides, os homens obesos ou com sobrepeso sofreriam mais de infertilidade.
Evidenciou-se, a partir destes achados, que casais em que os homens apresentam sobrepeso ou obesidade, quando submetidos a fertilização in vitro apresentaram menores taxas de gravidez e de nascidos vivos. Assim, mesmo submetendo-se a tratamentos, diga-se, fertilização in vitro, homens obesos têm menos chance de atingir uma gravidez.
Esses dados, que foram achados em um estudo realizado na Universidade de Adelaide, na Austrália e publicados pela Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM) em abril do corrente ano, confirmam estudos anteriores e somam mais um item à gama de problemas e patologias associadas à obesidade.
Com certeza, a obesidade tem muito mais facetas a serem descobertas, mas não restam dúvidas de que é uma patologia a ser combatida e evitada.
Casais obesos têm mais dificuldade não só para engravidar como também para manter a gravidez.

Conselho a todos: emagreçam e façam atividades físicas.