sábado, 28 de janeiro de 2012

DIP - Doença Inflamatória Pélvica - Ameaça Silenciosa


 A DIP, doença inflamatória pélvica, é uma doença silenciosa, pouco diagnosticada, pouco tratada e muito séria, sendo a principal causa de infertilidade feminina no Brasil, além de causar dor pélvica crônica em muitas mulheres. Esta temível doença é causada por bactérias que podem ser transmitidas por via sexual, como a clamídia e o gonococo (causador da gonorréia).

Geralmente se inicia com leves dores pélvicas, desconforto nas relações sexuais, uma menstruação mais dolorosa e nos casos mais graves pode levar a quadros de intensa dor pélvica, com presença de abscessos pélvicos (coleções de secreção purulenta), o que pode levar a um quadro de infecção generalizada, a temível septicemia.

O grande problema desta doença é o diagnóstico tardio e o tratamento inadequado, isso algumas vezes acontece pela demora em procurar um tratamento médico, pois os sintomas iniciais são em geral encarados como passageiros, por serem leves e inespecíficos, o que pode ser confundido com várias dores pélvico-abdominais leves, como uma diarréia, ou uma cólica menstrual mais forte. Além disso, a falta ou dificuldade de acesso à saúde, um problema crônico em nosso país, contribui em muito para retardar o correto tratamento desta doença.

Como conseqüência, muitas mulheres não são corretamente tratadas e acabam tendo suas trompas de falópio afetadas pelas bactérias causadoras desta patologia. Uma vez afetadas as trompas sofrem alterações definitivas, que vão desde perda de sua mobilidade, até sua obstrução, levando à infertilidade.

Uma vez obstruídas, as tropas perdem sua capacidade de ligação entre útero e ovários, está assim instalada um quadro de infertilidade, o qual não pode ser revertido naturalmente, sendo necessário para tal a realização de uma FIV (Fertilização in Vitro).

Portanto, torna-se fundamental o correto e rápido diagnóstico desta patologia, assim como o seu tratamento adequado.