segunda-feira, 23 de julho de 2012

Atividade física e suas relações com a fertilidade feminina


Em recente estudo realizado em conjunto pela Universidade de Boston, em Massachusetts nos EUA e pela Universidade de Aarhus na Dinamarca, que foi publicado em maio deste ano pela Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM) na sua publicação oficial, Fertility and Sterility, avaliou-se a influência da atividade física na fertilidade de mulheres no período fértil (foram avaliadas mulheres entre 18 e 40 anos). 


Em concordância com diversos estudos anteriormente publicados, esse estudo demonstrou que a prática de atividades físicas está relacionada com um aumento da fertilidade feminina, entretanto, este estudo demonstrou um dado bastante curioso, refere-se ao fato de que o excesso de atividade física pode reduzir a fertilidade da mulher, enquanto uma atividade física moderada aumentaria a fertilidade. 
Assim, atividades físicas extenuantes e rotineiras, como: corrida e ciclismo podem prejudicar e não ajudar a mulher a engravidar. 
Evidências antigas, sempre, demonstraram haver maiores índices de subfertilidade ou infertilidade em mulheres atletas (submetidas a uma intensa carga de atividade física).

Segundo esta pesquisa somente uma prática moderada de exercícios físicos teria um impacto positivo sobre a fertilidade feminina, devendo-se portanto evitar a prática exagerada de exercícios físicos. Mais ainda, segundo os dados obtidos nesta pesquisa, a fecundidade feminina diminui se a mulher realiza mais de cinco horas de atividade física semanal, seja ela de moderada ou forte intensidade, levando à seguinte conclusão: quanto maior o número de horas praticando atividade física, menor a fecundidade. Logicamente, esses dados são resultados desta pesquisa e futuros estudos são necessários para obter-se conclusões mais sólidas, muito embora, existam estudos que já demonstrem uma taxa de sucesso menor em ciclos de fertilização in vitro realizados em mulheres que realizam atividades físicas extenuantes.

Esses dados nos levam a crer que uma atividade física balanceada é a ideal para a mulher que deseja engravidar. 
Entretanto, em mulheres com sobrepeso ou obesas, parece que qualquer intensidade de atividade física contribui para uma melhoria da fertilidade, a redução de peso, consequentemente, tornaria a mulher mais fértil, por proporcionar mais ciclos ovulatórios, entre outros benefícios.
Em resumo, mulheres com peso dentro do limite da normalidade devem realizar atividades físicas com moderação, enquanto que, mulheres acima do peso podem realizar exercícios em quaisquer intensidade, ou seja, o que parece contar mais para a fertilidade é o perfeito equilíbrio entre boa forma física e uma prática adequada de exercícios físicos. 

Portanto, manter a saúde física em ordem parece ser determinante para manter uma boa fertilidade.

Pratiquem atividade física com equilíbrio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário