domingo, 13 de outubro de 2013

Efeitos da cirurgia no tratamento da endometriose

A endometriose, uma doença crônica e que está intimamente relacionada à infertilidade e à dor pélvica, ainda é um grande mistério.

Não se sabe qual a sua causa e não há,  ainda, um tratamento eficaz e que consiga   tratar todos os problemas por ela causados.

O tratamento pode ser feito clinicamente, com o uso de medicações ou por cirurgia e ainda pela combinação entre essas duas formas. A indicação do tratamento depende muito do problema a ser resolvido.
 A tendência atual é a de um maior conservadorismo quando a infertilidade é o principal sintoma. Tem-se optado menos por cirurgias, sobretudo nos ovários acometidos pela endometriose, visando uma maior preservação do tecido ovariano que ainda não foi afetado por esta doença.

 Porém, quando a fertilidade não é o problema e quando se tem a dor como principal sintoma a ser tratado, a cirurgia parece ser a melhor opção.

Um recente estudo, realizado na Universidade de Leuven, na Bélgica e publicado em setembro deste ano, na Human Reproduction (revista da ESHRE - Sociedade Européia de Medicina Reprodutiva e Embriologia) analisou os efeitos da cirurgia na melhoria de sintomas depressivos e de satisfação sexual relacionados à dor pélvica crônica provocada pela endometriose.

Sabe-se que a dor causada pela endometriose pode ter importante impacto psicológico, sexual e de relacionamento.

Este estudo evidenciou que após a cirurgia, houve uma melhora importante dos sintomas depressivos ligados à endometriose,  da dor durante o ato sexual, da anorgasmia (falta de orgasmos) e da satisfação no relacionamento com o parceiro.

A melhora foi mais evidente quando haviam lesões de endometriose no intestino e quando houve a retirada cirúrgica da parte do intestino afetada, ou seja, quando a cirurgia foi mais agressiva. Isso, provavelmente, se deve ao fato da endometriose intestinal ser responsável por vários sintomas extremamente difíceis de serem tratados e que provocam muita dor.

Com relação a probabilidade de gravidez após a cirurgia, não foram vistas diferenças entre quem teve ou não parte do intestino ressecado, o que vai ao encontro da atual tendência a se utilizar tratamentos mais conservadores quando o foco é a infertilidade, ou seja, menos cirurgia pra quem deseja uma gravidez e não está conseguindo.

A endometriose é uma doença complexa e o foco do tratamento não deve ser unidimensional, devendo-se levar em conta os problemas psicológicos relacionados à dor crônica e a preservação da fertilidade.

O ideal seria ter um tratamento que preservasse a fertilidade e controlasse de maneira eficaz a dor e seus problemas psicológicos e sexuais.

2 comentários:

  1. Oi Dr. Daniel no dia 9 /10 fiz Uma ultrasson e descobri que o coracao do meu bebe tinha parado eu estava com 11semanas mais ele estava com 8 semanas ainda dia 10 fiz uma curetagem colocaram prostos 4 comprimidos depois +4 com 12 horas de intervalo. Tive auta no outro dia e comecei a sentir muta dor , fui para urgencia fiz uma ultra e acusou restos ovulares e eco endometrial medindo 2,5 de aspecto heterogenio. A medica falou que vou ter que refazerba cuteragem .Qual o risco que corro com esse intervalo de 5 dias de uma curetagem para outra muito preucupada tem outro metodo fora esse desde ja agradeco.

    ResponderExcluir
  2. Não existe outro método, mas curetagens repetidas podem provocar sinéquias uterinas, que são cicatrizes, o q pode dificultar uma gravidez no futuro....leia neste blog sobre isso...abraço

    ResponderExcluir