sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Fertilidade masculina diminui com o envelhecimento


Vários estudos têm demonstrado efeitos deletérios do envelhecimento na fertilidade masculina, levando a resultados negativos como: aumento da taxa de abortamentos, aumento da taxa de desordens neurológicas e de desenvolvimento nos filhos. 
Esses resultados parecem acontecer pelo acúmulo de toxinas ambientais, pelo uso de álcool e pelo tabagismo. 

Um estudo publicado em Outubro de 2013 por pesquisadores de Los Angeles, na Califórnia, Estados Unidos, na Fertility and Sterility, jornal da ASRM - Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, tentou estabelecer quais as relações existentes entre a idade masculina e diminuição da fertilidade.

Foi observado, uma diminuição do número total e do número de espermatozóides móveis a partir dos 34 anos, com uma taxa de queda de 2% ao ano. Após os 40 anos foi evidenciado uma redução na concentração dos espermatozóides, após os 43 anos uma piora da movimentação e após os 45 anos uma queda do volume seminal e da morfologia (número de formas normais).

A diminuição da morfologia parece estar relacionada a maiores taxas de alterações cromossômicas nos espermatozóides. 

Existe uma relação clara entre o aumento da presença de radicais livres do oxigênio nos testículos com a diminuição da movimentação, da concentração e da morfologia, não coincidentemente após os 40 anos existe o aumento do nível desses radicais livres a nível testicular. 

Além disso, ocorre uma perda da termoregulacão testicular com o envelhecimento, devido ao depósito de gordura nos vasos testiculares, algo semelhante ao que ocorre no coração antes do infarto, por exemplo. Isso provoca um aumento da temperatura nos testículos e causa mais dano aos espermatozóides.

Esses dados, demonstram uma clara ação negativa da idade avançada na qualidade e quantidade dos espermatozóides, provocando não só maiores dificuldades para se atingir uma gravidez espontaneamente (a taxa de nascimentos declina após os 40 anos) mas também maiores problemas gestacionais (como abortamentos) e maiores chances de  aparecimento de problemas nos filhos. 

Além disso, existe uma relação entre pior qualidade embrionária e menores taxas de gravidez em ciclos de Fertilização in Vitro em homens acima dos 40 anos, nestes casos o dano do DNA do espermatozóide seria o responsável pela queda do sucesso nos tratamentos de reprodução assistida. 

Portanto, não só a idade feminina avançada, mas também a maior idade masculina contribuem para diminuir a fertilidade humana.

Adiar demais uma gravidez pode trazer, além de muitos problemas, muita dificuldade em se conseguir engravidar. 

Um comentário:

  1. Dr. Daniel, adoro seu blog, sempre leio todas os seus artigos publicados aqui. Abç!

    ResponderExcluir