quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Ovários micropolicísticos e seus efeitos negativos na gravidez


A Síndrome dos ovários micropolicísticos (SOMP) é a principal causa de infertilidade feminina de origem endocrinológica.

Além disso, mulheres com SOMP apresentam risco elevado para complicações na gravidez. Existe uma forte associação entre SOMP e diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, trabalho de parto prematuro e baixo peso fetal ao nascimento. 

Parece que a resistência insulínica (aumento da produção de insulina para tentar manter níveis normais de açucar no sangue - estágio que antecede o diabetes mellitus) e o excesso de andrógenos (hormônios masculinos, como testosterona) provocam um defeito na implantação embrionária (invasão endovascular do trofoblasto) e na placentação (formação da placenta). 

Uma pesquisa realizada em Nápoles e em Modena, na Itália e publicada na Human Reproduction, revista mensal da ESHRE (Sociedade Européia de Medicina Reprodutiva e Embriologia) em outubro deste ano, tentou identificar as consequências dessa alterações na gravidez. 

Foram avaliadas as placentas de pacientes com SOMP e foram observadas alterações macroscópicas, como: menor peso, espessura mais fina e volume menor, estas diferenças parecem estar associadas à problemas gestacionais e perinatais (período próximo ao parto). Por exemplo, quanto menor o peso placentário maior a chance do recém-nascido ir para UTI. 

As gestantes com SOMP apresentaram maior incidência de restrição de crescimento intra-uterino, de trabalho de parto pré-termo e de tromboses vasculares. 

Microscopicamente as placentas apresentaram mais lesões vasculares, uma maturação alterada e uma maior reação inflamatória das vilosidades placentárias. Essas lesões parecem ser influenciadas pelos níveis dos andrógenos circulantes e pelo excesso de açúcar no sangue, sugerindo um potencial papel do hiperandrogenismo e da resistência insulinica na gênese de todas as alterações. 

A paciente com SOMP apresentaria um estado crônico de inflamação que provocaria uma desregulação do sistema imune, reduzindo a capacidade do corpo de receber o embrião adequadamente, provocando uma implantação alterada e defeituosa, além disso a função vascular também estaria prejudicada. 


Em conclusão, a placenta de pacientes com SOMP apresenta alterações tanto macroscópica quanto microscopicamente, levando a problemas gestacionais. Assim, além de provocar infertilidade, a síndrome dos ovários micropolicísticos pode causar diversos efeitos negativos durante a gravidez. 

Combater as alterações da SOMP, como: excesso de peso, resistência insulínica e níveis alterados de colesterol, pode ser fundamental para se atingir uma gravidez e para se ter uma gestação sem tantas alterações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário