terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Ovários Micropolicísticos x Infertilidade e Alterações Metabólicas

A síndrome dos ovários micropolicísticos (SOMP) é uma alteração endócrina muito comum e atinge cerca de 07% das mulheres em idade reprodutiva. Caracteriza-se por ausência de ovulação (alterações menstruais), combinada com sinais e sintomas de excesso de hormônios masculinos (acne, queda de cabelo, excesso de pêlos). É a principal causa endocrinológica (hormonal) de infertilidade e está muito relacionada a alterações de níveis de açucar e colesterol. 

Existem diversos dados que indicam que o excesso de peso está ligado a quadros mais graves de SOMP, com um aumento do risco de complicações metabólicas e cardiovasculares, como: resistência insulínica (excesso do hormônio que controla os níveis de açucar - estágio que antecede a diabetes), hipertensão arterial, excesso de colesterol e aterosclerose (depósitos de gordura nos vasos sanguíneos). 

Dados sugerem que cerca de 30 a 40% de mulheres jovens com SOMP tem intolerância à glicose (pré-diabetes) e que  05 a 10% tem diabetes mellitus. A atual epidemia mundial de obesidade tem contribuido para uma maior proporção de crianças e adolescentes obesos, parecendo aumentar os casos de SOMP, hipotetizando-se um papel da obesidade como causa da síndrome dos ovários micropolicísticos.

Avaliando esses dados, um grupo de pesquisadores de Los Angeles, na Califórnia, fez um estudo para avaliar a prevalência da SOMP na adolescência (idade entre 15 e 19 anos) e na obesidade. Os dados deste estudo foram publicados em agosto de 2013 na Fertility and Sterility, a revista periódica da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva.

Os dados indicaram que 02 em cada 200 adolescentes têm o diagnóstico de ovários policísticos, sugerindo que esta patologia é ainda subdiagnosticada e que, em muitos casos, existe uma demora em se fazer o diagnóstico. Foi achada, também, que quanto maior o peso maior a prevalência (mais casos) da doença e portanto maior o risco de complicações associadas.

Desta forma, tem-se mais um estudo que demonstra a forte associação entre obesidade infantil, na adolescência e na vida adulta com a síndrome dos ovários micropolicísticos e sua complicações metabólicas e infertilidade.

A SOMP deve ser bem-diagnosticada e tratada, ou melhor, controlada. Os efeitos negativos na saúde da mulher podem ser devastadores, assim como as dificuldades para engravidar podem ser enormes.
O controle desta patologia é vital para uma boa saúde e para a manutenção da capacidade reprodutiva. Não se pode encarar a SOMP apenas como uma alteração ovariana isolada, trata-se de uma doença sistêmica e os reflexos são profundos. 

Não se deve, jamais, banalizar o tratamento desta patologia de tão difícil controle.

Nenhum comentário:

Postar um comentário