quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Finasterida e seus efeitos na fertilidade masculina


A finasterida, uma droga que bloqueia a formação de formas ativas da testosterona (o hormônio masculino) vem sendo utilizada desde os anos 90 para tratamento de problemas na próstata e sobretudo para tratamento da alopécia androgênica (queda de cabelo masculina), um mal que afeta milhares de homens, para este fim a mesma vem sendo largamente utilizada e seus efeitos na fertilidade masculina ainda não são tão claros.

O FDA (orgão que controla a liberação dos medicamentos nos Estados Unidos) não reporta nenhum efeito negativo da finasterida na fertilidade masculina, muito embora existam descrições de casos em que o seu uso tem provocado uma alteração negativa na produção dos espermatozóides, o que seria reversível após a parada da medicação. 
Entretanto, existem poucos estudos sobre esses efeitos.

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá, resolveu estudar mais a fundo os efeitos da finasterida na fertilidade masculina e publicou seus resultados na Fertility and Sterility, a revista da ASRM (Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva) em dezembro de 2013.

Eles estudaram os efeitos desta medicação em homens inférteis e concluiram que há uma diminuição da motilidade (movimentação dos espermatozóides) e da concentração (número de espermatozóides), efeitos que desapareceram após três meses de parada da medicação. 

Esses efeitos parecem ser dose dependente. Em homens inférteis mesmo baixas doses, como as usadas na alopécia androgênica, trazem efeitos deletérios, mas existem estudos que demonstram que em homens com fertilidade normal, somente doses maiores trariam efeitos negativos, assim nesse grupo, as doses usadas para tratar a alopécia não provocariam problemas.

Os mecanismos pelos quais a finasterida provoca essas alterações não são completamente conhecidos, acha-se que a mesma atua alterando a espermatogênese (formação dos espermatozóides).

Em conclusão, parece ser benéfico parar o uso de finasterida para aqueles homens que têm alterações seminais e que estão tentando engravidar, já para homens sem alterações o uso da mesma em baixas doses parece não diminuir a fertilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário