quinta-feira, 27 de março de 2014

Bisfenol A x Fertilização in Vitro

O bisfenol A (BPA), substância utilizada na produção de plásticos, é considerado um potente causador de alterações endocrinológicas. Apresenta uma afinidade com os receptores de estrógeno (hormônio feminino) e parece interferir na produção de andrógenos (hormônio masculino), agindo diretamente nas células testiculares. 
Já foi abordado aqui neste blog, em 2013, os seus efeitos deletérios nos óvulos femininos. Agora abordaremos seus possíveis efeitos tóxicos nos espermatozóides. 

Acha-se que essa substância quando submetida a altas temperaturas provoca diversos efeitos negativos na produção hormonal. Como ela está presente no nosso dia-a-dia, nos utensílios plásticos que utilizamos (depósitos de alimentos e garrafas, por exemplo) e que são expostos à temperaturas elevadas (fornos e micro-ondas, por exemplo), temos, teoricamente, um contato íntimo com seus efeitos negativos. 

Uma pesquisa realizada na Universidade de Maribor, na Eslovênia e publicada em janeiro de 2014 no jornal da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, tentou identificar os efeitos ruins do BPA nos espermatozóides e nos embriões formados em tratamentos de reprodução assistida. 

O bisfenol A foi detectado em 98% das urinas de homens submetidos a uma fertilização in vitro. A pesquisa revelou que quanto maior a quantidade de bisfenol A menor o número de espermatozóides e menor sua vitalidade (capacidade de sobrevivência). Entretanto os embriões formados com esses espermatozóides não tiveram uma qualidade pior e isso não afetou as taxas de gravidez, dado que não é compatível com outros estudos, em que foram observados piores taxas de implantação embrionária na presença de níveis elevados desta substância. 

Será que esta substância tem a capacidade de afetar todos os homens, ou somente aqueles que têm alguma alteração seminal e já teriam problemas na formação dos espermatozóides? Essa pergunta pode justificar a presença do BPA na urina de homens férteis. 

Em conclusão, evidenciou-se que pequenos níveis de concentração de bisfenol A podem piorar a qualidade e quantidade dos espermatozóides. 

Deve-se evitar a exposição a esta substância e para isso uma correta postura na nossa rotina diária é necessária, evitando-se a exposição ao calor de recipientes plásticos.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário