segunda-feira, 19 de maio de 2014

Gordura Trans afeta Fertilidade Masculina

A gordura trans, tão combatida e extremamente prejudicial à saúde, por aumentar os níveis de colesterol e elevar o risco de arteriosclerose, infarto e acidente vascular cerebral, é o nome dado à gordura vegetal que passa por um processo de hidrogenação natural ou industrial,  sendo muito usada pela indústria alimentícia. Começou a ser usada em larga escala a partir dos anos 1950, como alternativa à gordura de origem animal, conhecida como gordura saturada. Acreditava-se que, por ser de origem vegetal, a gordura trans ofereceria menos riscos à saúde. Mas estudos posteriores descobriram que ela é ainda pior que a gordura saturada. 
Em geral, as gorduras vegetais, como o azeite e os óleos, são bons para a saúde. Porém, quando passam pelo processo de hidrogenação ou são esquentadas, as moléculas são quebradas e a cadeia se rearranja. Essa nova gordura é que vai fazer todo o estrago nas artérias e é ela que vai fazer com que os alimentos fiquem saborosos, crocantes e tenham maior durabilidade (batatas chips, por exemplo).

No últimos anos, pesquisas tem demonstrado que o consumo excessivo de alimentos com gordura trans pode afetar a fertilidade masculina.
Baseado nestes dados, pesquisadores de Harvard, nos Estados Unidos, publicaram um estudo na Human Reproduction, revista da Sociedade Européia de Medicina Reprodutiva e Embriologia, no mês de março de 2014.

Os resultados deste estudo demonstraram que homens que tiveram uma alimentação com maior consumo de gordura trans (primariamente derivada de batatas fritas e outros tipos de batatas artificiais) apresentaram diminuição da quantidade e da movimentação dos espermatozóides, além de terem tido também uma redução do volume do ejaculado e dos níveis do hormônio masculino (a testosterona). 
Todas essas alterações levaram a uma diminuição da fertilidade neste grupo de homens analisados por este estudo. 

Esta pesquisa demonstra mais um efeito negativo de uma alimentação inadequada e desbalanceada na fertilidade humana.

domingo, 11 de maio de 2014

Dia da Mães



Mãe, ser único, ímpar e simplesmente mãe!!!
Parabéns a todas as mães e em especial às futuras mães, que hoje se encontram na batalha para superar todas as dificuldades, mas que se continuarem lutando, atingirão esse tão desejado sonho!!! Continuem tentando, não desistam nunca!!!

sábado, 10 de maio de 2014

Vitamina D - Fator de risco para perda gestacional?


Os efeitos negativos da deficiência de vitamina D na gravidez já vêm sendo demonstrados nos últimos anos. Sua deficiência parece estar asssociada a maiores riscos de pré-eclâmpsia, diabetes gestacional, trabalho de parto prematuro e restrição de crescimento intrauterino. 

Estudos parecem também relacionar essa deficiência com perdas gestacionais.
Baseado nisso, pesquisadores de Chicago, nos Estados Unidos, publicaram uma pesquisa em fevereiro de 2014, na Human Reproduction, revista da Sociedade Européia de Medicina Reprodutiva e Embriologia.

A pesquisa demonstrou que muitas mulheres com abortamento de repetição (três ou mais perdas consecutivas) apresentaram deficiência de vitamina D, o que parece estar relacionado (ser causa ou consequência) a uma alteração da imunidade.

Foram estudadas 133 mulheres com abortamentos repetitivos, 47% destas mulheres apresentaram deficiência de vitamina D e quem foi diagnosticada com baixos níveis desta vitamina, apresentou maiores níveis de anticorpos antifosfolípides (relacionados à uma conhecida trombofilia, a síndrome de anticorpos antifosfolípide - SAAF, assunto abordado neste blog, em 2011). Além disso outros anticorpos, como: FAN (relacionado ao LUPUS, outra doença autoimune) e anti-peroxidase (relacionada à doenças da tireóide, como o hipotireoidismo) também estavam aumentados nas mulheres com níveis baixos de vitamina D. Todos esses anticorpos estão ligados ao desenvolvimento de patologias autoimunes, doenças em que são produzidos anticorpos contra o próprio corpo.

Esses dados nos fazem refletir como pequenos detalhes são importantes para a preservação de uma boa fertilidade, talvez no futuro a reposição da vitamina D possa vir a ser um tratamento para as perdas de repetição, mas desde já  me parece ser importante uma boa manutenção dos níveis de vitamina D no organismo feminino, tanto antes quanto durante a gravidez.

Esses dados nos fazem refletir como pequenos detalhes são importantes para a preservação de uma boa fertilidade, talvez no futuro a reposição da vitamina D possa vir a ser um tratamento para as perdas de repetição, mas desde já  me parece ser importante uma boa manutenção dos níveis de vitamina D no organismo feminino, tanto antes quanto durante a gravidez.


sexta-feira, 9 de maio de 2014

Aumento da Cintura piora Fertilidade Masculina

Existem relações entre o peso do homem, seus hábitos de vida e atividade física com a sua fertilidade? Parece que sim e vários dados de pesquisas médicas vêm demonstrando isto (em janeiro deste ano já publicamos algo sobre esse assunto aqui no blog).
O excesso de peso e o aumento da circunferência abdominal (cintura) parecem estar ligados a uma pior qualidade seminal.

Baseado nisso, pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, realizaram uma pesquisa e a publicaram em fevereiro de 2014 na Human Reproduction, a revista mensal da ESHRE (Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia).

Os dados deste estudo demonstraram que o volume seminal diminuiu a medida que o IMC (Índice de Massa Corporal) aumentou e que quanto maior a circunferência abdominal menor a quantidade de espermatozóides. Esta pesquisa não demonstrou nenhuma relação entre atividades físicas e os parâmetros seminais (apesar de existirem estudos demonstrando que o ciclismo pode afetar a fertilidade masculina, assunto publicado neste blog, em 2011), assim como não houveram mudanças significativas na movimentação e  na forma dos espermatozóides como ganho de peso.

Considerando a atual epidemia da obesidade, pode-se dizer que a perda de peso e a consequente diminuição da circunferência abdominal parecem ser importantes para uma melhora da qualidade e quantidade dos espermarozóides.

Essa é mais uma pesquisa demonstrando as relações negativas entre a obesidade e a fertilidade humana.
Para engravidar mais facilmente e com melhor qualidade é preciso perder peso.

sábado, 3 de maio de 2014

12TH World Congress on Endometriosis - Último Dia


Hoje, se encerra, o décimo segundo Congresso Mundial em Endometriose, realizado em São Paulo. Após quatro dias de muitas aulas, discussões e aprendizado, é hora de voltar pra casa e tentar aplicar na prática médica do dia-a-dia as inovações apresentadas, com a certeza absoluta que somente a manutenção da busca constante pelo aprendizado é o meio capaz de nos fazer avançar e poder dar o melhor para nossas pacientes.

Durante esses quatro dias, tive a oportunidade de rever e aprender mais ainda com grandes professores, como: os franceses Charles Chapron e Dominique DeZiegler e os meus antigos professores da USP-Ribeirão Preto, Rui Ferriane e Paula Navarro, além de ter reencontrado vários amigos, como os Drs. Bruno Ramalho e Carlos Portocarrero de Brasília e os Drs. André Nóbrega, Márcio Erlon, Sidney Pearce, Fernandes Campos, Valéria Bitu e Clarissa Barreto, de Fortaleza.

Oportunidade ímpar, que só os grandes congressos oferecem.

Que venha Vancouver, Canadá, em 2017.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

12TH World Congress on Endometriosis - Dia 3



Presente ao 12° Congresso Mundial em Endometriose, em São Paulo - SP, um encontro que acontece a cada três anos com especialistas e pesquisadores do mundo inteiro, na busca incessante por respostas às várias questões ainda sem solução, como:

1- Qual a causa da Endometriose?
2- Como deve-se tratá-la?
3- Qual o melhor tratamento?
4- Operar ou usar medicações para o tratamento?
5- Como individualizar cada tratamento e cada paciente?
6- Como dividir os tratamentos entre as principais consequências, infertilidade e dor?
7- Existirá uma cura?
8- Como viver com a Endometriose?

Muitas perguntas para poucas respostas, mas muitas pesquisas e esforço no sentido de melhorar o controle e tratamento desta temível patologia.
Esperemos que o futuro possa responder tantas questões.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Ayrton Senna - 20 anos!!!



Há exatos 20 anos, o maior piloto de todos os tempos nos deixava, vinte anos se passaram e o mito ainda vive na memória de todos aqueles que viveram sua época. Para aqueles, que como eu, tiveram o privilégio de ver Senna correr, fica uma imensa saudade de uma época tão vitoriosa e que marcou uma geração inteira!!! 


AYRTON SENNA DO BRASIL!!! 
O Mito jamais morrerá!!!