quarta-feira, 30 de julho de 2014

Atividade Física x Fertilidade Feminina


A prática de atividade física já está estabelecida como benéfica durante a gravidez, parece reduzir a chance de desenvolver diabetes e pré-eclampsia (pressão alta), por exemplo. O Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia recomenda exercícios de moderada intensidade por 30 minutos ao dia, todos os dias, no período gestacional. Entretanto, não existem conclusões definitivas sobre a realização de atividades físicas na época da implantação embrionária. A prática de exercícios de  moderada intensidade parece aumentar a sensibilidade à insulina, aumentando o metabolismo dos carboidratos e melhorando a implantação do embrião no útero, entretanto exercícios físicos intensos parecem diminuir a chance de implantação. 

Como é muito difícil se estabelecer o exato momento da implantação embrionária no dia-a-dia da mulher, um grupo de pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte e de Atlanta nos EUA, procurou avaliar o efeito dos exercícios físicos em pacientes inférteis submetidas à fertilização in vitro (FIV), pois durante esse procedimento pode-se determinar exatamente o período da implantação dos embriões. Os dados desta pesquisa foram publicados na Fertility and Sterility, a revista mensal da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, no primeiro semestre de 2014.  

Os resultados desse estudo mostraram maiores taxas de implantação e gravidez em mulheres que vinham realizando atividade física regular e de moderada intensidade durante o ano anterior à realização da FIV, assim como as mulheres mais ativas (que andavam mais e que assistiam menos televisão) também tiveram melhores taxas de gravidez. 

A pesquisa não conseguiu relacionar a prática de atividades físicas após a transferência embrionária com o sucesso na FIV, pois a grande maioria das mulheres não realizou exercícios neste período, impossibilitando uma avaliação adequada. Entretanto, outros estudos demonstraram efeitos negativos do excesso de atividade física neste período, parecendo que a manutenção de um estilo de vida regular e ativo parece ser a melhor opção. 

Alguns estudos têm analisado um outro ponto importante, avaliando a deambulação precoce (movimentação após 1 hora da transferência embrionária) comparada a uma deambulação tardia (movimentação somente após 24 horas de um repouso praticamente total,  a mulher permanecendo deitada durante este período, por exemplo) e a maioria das pesquisas não achou diferença nas taxas de gravidez, entretanto um estudo identificou maiores taxas de sucesso nas mulheres que passaram menos tempo em repouso ("de cama"). 

Portanto, o equilíbrio e a realização regular de atividades físicas antes, durante e após se atingir uma gravidez parece ser a melhor opção para aumentar o sucesso dos tratamentos de reprodução assistida, como a fertilização in vitro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário