quinta-feira, 13 de novembro de 2014

O que têm a ver óvulos com hambúrgueres?!

Um artigo 21/10/2014 na Folha de São Paulo, "Congelar óvulos não é como congelar hambúrguer", traz à tona a discussão sobre o congelamento de óvulos. Uma visão pessimista, na minha opinião. Tem seu mérito por estimular o debate, mas discordo de algumas afirmações.
Troquei ideias com a autora pelo Twitter, mas por lá, como todos sabem, é difícil estabelecer um debate bacana. Minhas principais considerações: 
(1) não sou a favor da iniciativa das empresas citadas de oferecer o congelamento como benefício às funcionárias, pois entendo ser aquele uma demanda da mulher, em mão única e de foro íntimo; 
(2) o texto me dá a impressão de que, para a jornalista, na atuação médica predomina a má fé, a "venda de uma ilusão"; prefiro não acreditar nessa suposta promessa de sucesso, pois não é o que pratico nem o que vejo nos meus círculos profissionais;
(3) o congelamento de óvulos com motivação social (adiamento da maternidade) é uma prática recente e, portanto, passível de ampla discussão; mas é a tentativa de preservar a fertilidade, jamais será sua garantia;

(4) a atuação ética em medicina reprodutiva implica, invariavelmente, a oferta de realidade aos casais que buscam auxílio, ou seja, a transmissão da noção de que nós não DESAFIAMOS a natureza, mas apenas pretendemos NOS UNIR A ELA em situações adversas.

Fonte: Artigo escrito pelo Dr.Bruno Ramalho em seu blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário