quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Tipo Sanguíneo x Reserva Ovariana


Vários estudos vêm, nos últimos anos, demonstrando uma possível associação entre o tipo sanguíneo e a fertilidade feminina.

Uma pesquisa, realizada em 2011, demonstrou que mulheres com tipo sanguíneo O teriam uma probabilidade maior de apresentar uma reserva ovariana (quantidade de óvulos) diminuída quando comparadas com mulheres com outros tipos de sangue. O exato mecanismo que poderia explicar essa relação não é claro. Talvez alterações em determinados genes que se localizam perto dos genes determinantes do tipo sanguíneo.

Entretanto, algumas pesquisas posteriores, de 2013, não encontraram relações entre os tipos de sangue e reserva ovariana. Além disso, um estudo mais recente, publicado em dezembro de 2014, na Fertility and Sterility, a revista da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, demonstrou que mulheres com tipo sanguíneo O apresentariam menos risco para apresentar uma reserva ovariana diminuída, este estudo foi realizado na China.

A controvérsia a respeito deste assunto é grande. O objetivo das pesquisas é tentar encontrar respostas, tentar definir fatores que possam diminuir mais rapidamente a quantidade de óvulos e portanto fertilidade da mulher. 

Sabe-se que a reserva de óvulos cai progressivamente com o envelhecimento, a principal e mais importante saída para se evitar uma baixa reserva ovariana é não postergar demais a gravidez. 

O auge da fertilidade feminina ocorre aos 25 anos, após essa idade, ocorrerá uma queda da reserva ovular, o que se intensificará muito após os 35 anos. Entretanto, esta queda mais acentuada pode ocorrer antes dos 35. Se identificarmos as causas que levariam a uma queda precoce da quantidade de óvulos, poderíamos intervir e conseguir preserva a fertilidade, seja por uma antecipação de uma gravidez, seja pelo congelamento de óvulos ou embriões. 

No entanto, a melhor maneira de se evitar esse tipo de problema é não se postergar muito a gravidez. A idade feminina é um fator extremamente importante e primordial para uma boa fertilidade.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Idade da Mulher - Fundamental


Para iniciar o ano, mais um artigo enfatizando a importância da idade da mulher na fertilidade. Diversas vezes, enfatizamos, aqui neste blog, por meio de diversas pesquisas publicadas nos principais jornais internacionais, a importância fundamental da idade na manutenção de uma boa capacidade fértil e portanto na capacidade de engravidar.

Pesquisadores japoneses, da Universidade de Kanazawa, avaliaram a influência da idade da mulher na velocidade de desenvolvimento embrionário em ciclos de fertilização in vitro (FIV). Assim, avaliaram também como a idade e a velocidade de crescimento embrionária afetam as taxas de gravidez e de bebê em casa (resultado final e mais desejado). Os dados dessa pesquisa foram publicados em outubro de 2014, na Reproductive BioMedicine, um jornal internacional voltado para pesquisa biomédica em reprodução humana.

Esta pesquisa demonstrou que a velocidade de desenvolvimento embrionário até se atingir o estágio de blastocisto (embrião bem desenvolvido) pareceu ser o parâmetro mais importante para classificar a qualidade embrionária e que quanto maior a idade da mulher e quanto mais tempo o embrião levou para atingir o estágio de blastocisto, menores foram as taxas de gravidez. Também, foi observado que em idades mais avançadas menos embriões conseguiram se desenvolver até o estágio de blastocisto ou então levaram um tempo maior para atingir esta fase final de desenvolvimento.

Mais uma vez, têm-se dados que demonstram como a idade feminina é importante e fundamental para a geração de novas vidas. Não há como parar o tempo, o envelhecimento faz parte da natureza humana, temos que aceitar este fato e antecipadamente aprender a lidar com ele, isso significa planejar com antecedência uma futura gravidez ou procurar preservar a fertilidade através do congelamento de óvulos e/ou embriões antes que seja tarde demais. 

Essa é uma mensagem que tem que ficar bem esclarecida e por mais que pareça ser insistente e até chato, essa realidade não permite que escondamos embaixo do tapete algo de tamanha importância.



Que 2015 seja mais FÉRTIL que 2014!!! Que venha 2015!!!