sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

IMC elevado afeta Fertilidade


O impacto das alterações do IMC (Índice de Massa Corporal) na fertilidade humana são bem conhecidos. Mulheres com IMC acima ou abaixo da normalidade apresentam uma alta frequência de disfunções ovulatórias, o que reduz a fecundidade. Em homens, as pesquisas também indicam que grandes variações do IMC parecem alterar uma boa produção de espermatozóides, muito embora as evidências sejam menos robustas.

Para tentar esclarecer os reais impactos do peso na fertilidade masculina, pesquisadores franceses, da Universidade de Paris Descartes, realizaram uma pesquisa sobre este assunto e publicaram seus dados na Fertility and Sterility, a publicação mensal da ASRM (Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva) em novembro de 2014.

Os resultados desse estudo, onde 10 mil homens foram analisados, demonstraram que quanto maior o IMC pior o volume seminal, a quantidade de espermatozóides e a movimentação dos mesmos. Para se ter uma noção de como o excesso de peso pode afetar a fertilidade, a taxa de azoospermia (ausência de espermatozóides na ejaculação) aumentou de 1,9% para 9,1% nos obesos extremos. Este estudo demonstrou, também, que os homens mais velhos (acima de 55 anos) apresentaram uma menor quantidade de espermatozóides quando comparados com homens abaixo de 25 anos, demonstrando uma relação clara e negativa entre fertilidade e idade masculina.  

Esta pesquisa demonstrou que o sêmen de homens obesos apresenta uma qualidade inferior ao de homens com níveis normais de IMC. Outros estudos demonstraram, também, que a obesidade pode estar associada a uma menor quantidade de testosterona (o hormônio masculino) e a um maior dano ao DNA (material genético) do espermatozóide, fatores que contribuem para uma piorar mais ainda a fertilidade.

Em resumo, cada vez mais e mais pesquisas têm demonstrado os efeitos negativos do excesso de peso e dos estilos de vida desequilibrados na fertilidade humana. O caminho é um só, a busca pelo equilíbrio e por uma melhor saúde física e mental.



Nenhum comentário:

Postar um comentário