quinta-feira, 26 de março de 2015

Acne e Endometriose - Relações

A presença de acne grave em adolescentes pode estar associada à presença de endometriose durante os anos de vida reprodutiva. A ligação teria uma base genética, com alterações em um mesmo local do cromossomo 24 (região 8q). As duas doenças seriam fruto de alterações nesta determinada área. Para testar esta hipótese, cientistas de Harvard realizaram uma pesquisa e a divulgaram em novembro de 2014, na Human Reproduction, o jornal mensal da Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia.

Foram estudadas 88.623 adolescentes, destas 7,95 % tinham acne grave. Foi achada uma associação estatisticamente significante entre a presença de acne grave e endometriose diagnosticada por laparoscopia. Além da teoria genética, o excesso de hormônios masculinos, os andrógenos, que se encontra muito associado à acne grave, pode levar a um excesso de estrógenos, hormônios que estão diretamente ligados ao desenvolvimento e manutenção da endometriose, mais ainda, o excesso de estrógenos, também, parece causar mais acne. Outra hipótese seria a de uma disfunção do sistema imune que poderia originar ambas as doenças.

A importância de se entender tais relações está no fato de se poder rastrear e diagnosticar mais precocemente uma doença como a endometriose, que muitas vezes demora anos para ser diagnosticada. Assim, a acne grave pode vir a ser no futuro um marcador que aumentaria a capacidade de diagnosticar a endometriose, uma doença crônica de difícil manejo e causadora de dor pélvica crônica e infertilidade.

Parece haver uma ligação entre essas duas patologias, que, em geral, se desenvolvem na mesma idade. 

Portanto, esta pesquisa concluiu que houve um aumento do risco de endometriose entre mulheres com história de acne grave na adolescência. Surge, quem sabe, mais uma faceta da endometriose.

Nenhum comentário:

Postar um comentário