quarta-feira, 15 de abril de 2015

Endometriose parece não afetar a ovulação


A endometriose, temível doença que causa infertilidade e dor pélvica crônica, é motivo de controvérsias múltiplas quando se fala em manuseio, controle e tratamento. Atualmente, muitas pesquisas médicas vêm indicando tratamentos menos invasivos, ou seja, menos intervenção cirúrgica. Deve-se, portanto, ter um cuidado imenso antes de submeter uma paciente com endometriose a uma cirurgia, sobretudo se a mesma é infértil ou deseja preservar sua fertilidade para o futuro, especialmente quando a endometriose atinge os ovários, pois a remoção de cistos de endometriose desses órgãos pode provocar danos irreversíveis, com uma perda acentuada e permanente da reserva ovariana (perda dos óvulos necessários para uma gravidez). 

Baseado nestes dados, pesquisadores da Universidade de Genova, na Itália, estudaram os efeitos de endometriomas (cistos ovarianos de endometriose) na ovulação espontânea. Os resultados deste trabalho foram publicados em fevereiro deste ano na revista mensal da ESHRE (Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia).

O estudo incluiu mulheres em idade fértil, com ciclos menstruais regulares e com endometriomas unilaterais maiores que 2,0 cm, que estavam desejando engravidar.

A ovulação espontânea foi monitorizada em 1199 ciclos de 244 mulheres, a mesma ocorreu em 596 ciclos (49,7%) no ovário não afetado com endometriose e em 603 ciclos (50,3%) no ovário afetado. Estes dados foram confirmados, também, quando os endometriomas tiveram mais que 4,0 cm e até nos casos de endometriomas maiores que 6,0 cm. Destas mulheres, 105 engravidaram espontaneamente, uma taxa de 43%, considerada alta.

Portanto, essa pesquisa demonstrou que endometriomas unilaterais não atrapalham ou impedem a ovulação espontânea. Esta é mais uma evidência que demonstra o cuidado e a paciência que se deve ter no tratamento e manuseio da endometriose (especialmente a ovariana), sobretudo quando se trata de casos ligados à infertilidade. 

É preciso ter cuidado e saber indicar a hora correta para uma intervenção cirúrgica, tem-se que sempre pensar na possibilidade de dano excessivo à fertilidade, após a remoção da endometriose ovariana. 

Indicações cirúrgicas para endometriose existem. A intervenção cirúrgica é um dos tratamentos, mas é preciso que se individualize cada caso, na tentativa de postergar a primeira abordagem cirúrgica o máximo possível, pois se trata de uma patologia que não tem cura, apenas controle. 

Quanto mais tardia for a primeira cirurgia, menor a probabilidade de se ter a necessidade de outras intervenções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário