sexta-feira, 22 de maio de 2015

Atividade Física x Sedentarismo


Atividade física interfere na fertilidade? Esta é uma dúvida muito comum para os casais que estão tentando engravidar. A resposta é quase sempre a mesma: sim. Entretanto, não se sabe, ainda, com certeza, mensurar a influência das atividades físicas na fertilidade humana, menos ainda se sabe sobre esta influência nos resultados dos tratamentos de reprodução assistida (fertilização in vitro e inseminação intrauterina).

Pesquisadores de Harvard, nos Estados Unidos, buscaram respostas para estas perguntas. Eles realizaram uma pesquisa em 233 homens e analisaram 433 amostras seminais de casais que se submeteram à fertilização in vitro ou à inseminação intrauterina. Os dados desta pesquisa foram divulgados em novembro de 2014.

Os resultados demonstraram que homens que fizeram uma média de três horas de atividades físicas semanais tiveram um número maior de espermatozóides e que quanto maior o tempo e a intensidade da atividade física maior foi a concentração de espermatozóides, chegando a níveis 43% superiores de espermatozóides, quando comparados com homens sedentários.

Contrariamente a esses dados, homens que pedalaram mais de uma hora e meia por semana tiveram uma taxa 34% menor de concentração de espermatozóides, quando comparados com os que não pedalavam (em julho de 2011, publiquei neste blog um texto demonstrando que 05 horas ou mais de ciclismo por semana afetariam negativamente os espermatozóides, parece que esse tempo é menor, frente a esses novos dados)

Pra finalizar, esta pesquisa não achou nenhuma influência do tipo, intensidade ou duração da atividade física com os resultados dos tratamentos de reprodução assistida.

Esses dados demonstram que a atividade física interfere na produção de espermatozóides, muito embora faltem dados para afirmar que interfiram nos tratamentos, mas com certeza interferem nas tentativas naturais de concepção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário